Páginas

sexta-feira, 21 de março de 2014

Climatização e Ambientação da Campanha (Parte 2)

Falaê aventureiros!

Neste post eu vou finalizar esta parte tão importante para uma narrativa!
Até então eu só falei da questão de aprimorar a narrativa, de criar uma ambientação menos superficial, mais rica e visual!
No entanto, usei apenas exemplos, as dicas estão aqui para vocês:


1 - Contato com filmes, livros e games!

Você pode ser O MESTRE dos RPGs. Pode sacar leras do sistema e do mundo em q vc vai narrar. Mas... lembra do mini cachorro quente que eu falei na primeira parte desta matéria? pois é... coloca uma mostarda nele e um bacon p ficar show! heheheheh.

"O que vc quer dizer com isto?"

Simples!
Jogue video game/pc, leia bastante, pesquise sobre eventos históricos, lugares e outras coisas que tiver interesse, assista filmes de todo tipo que curtir. 
ENRIQUEÇA sua bagagem cultural!
Isto vai encher a sua cabeça de idéias, vc vai se apaixonar por alguns cenários, tramas, características de personagens, e vai te servir de inspiração na criação de elementos de sua crônica!


2 - Música durante o jogo

Abra seus ouvidos para tudo que contenha uma trilha sonora!
Trilhas de jogos, animes, filmes e desenhos são excelentes para se criar um clima diferente.
Separe pastas com músicas de batalha, músicas de cenas de ação, músicas épicas, de descontração, suspense, drama... ou então separe-as pelo nome das trilhas sonoras mesmo. 
Independente de como use as músicas, NÃO deixe elas faltarem em seu jogo. O clima da narrativa, a emoção dos jogadores, toda a emoção será elevadoa durante a sessão.





3 - Mude a voz

Ultimamente não tenho visto isto em algumas mesas, tanto por parte de jogadores quanto por parte de mestres.
É algo essencial para que a trama ganhe mais sabor!
Os personagens têm personalidade, têm características, têm o poder da VOZ acima de tudo!

Ninguém imagina que o terrível Rei Orc tenha a voz de um adolescente de 15 anos ¬¬ dá um desconto né!
Dê aquela pigarreada, faça uma voz gutural e solte sua alma na interpretação!
Além do tom da voz, dê um charme nela, dê uma característica facial no npc/personagem.

Ele costuma falar sonhadoramente, distraído, com um ar leve? 
Ele é o Rei Orc? ele torce o rosto todo quando fala?
RPGistas excepcionais fazem isto sempre. O personagem é mais que um pedaço de papel!

Uma dica excelente para o mestre também é usar entonações diferentes para momentos diferentes!

"Como assim?!"

- A cena é de suspense? 
Fale baixo, arraste sua voz... uma voz baixa faz com que todos se calem e prestem MUITA atenção no que está dizendo.
- É uma cena em uma descontraída taverna? 
Fale alto e alegremente, vc passará sensação de liberdade e aconchego para os jogadores.
- A cena é um drama? 
Use uma voz suavemente sinistra, carregue o sentimento na fala e enfatize palavras que devem ser destacadas na cena.

Estas são apenas algumas dicas que irão enriquecer seu jogo!
Use-as e comprove os resultados.
É assustador como o seu RPG pode melhorar quando vc coloca "a mostarda e o bacon" no mini cachorro quente.

Abração e até a próxima!!



quinta-feira, 20 de março de 2014

RPG em Belo Horizonte

Falaê Aventureiros e Nerdaiada!
Prometo que em breve, o canal do Hobbit Café aparecerá!
Mas por enquanto, acho muito válido recolocar este vídeo em evidência.
Afinal de contas, o cenário do RPG em Belo Horizonte tem crescido muito!
Minha proposta é postar este vídeo neste momento, e em breve fazer um vídeo "parte 2" mais atualizado.
Por enquanto é isto =D


Um Abração do Hobbit!

terça-feira, 18 de março de 2014

Climatização e Ambientação da Campanha (Parte 1)

Falaê aventureiros!

Infelizmente este assunto rende muito texto, e como acredito que muitos aqui estão esperando uma coisa mais tranquila, vou dividir este post, para facilitar a leitura.

Estou trazendo até vocês um dos pilares mais importantes no papel de uma campanha de RPG.
Algo que depende completamente do mestre, e que através dele irá surtir um efeito épico na mente dos jogadores, fazendo com que a campanha seja lembrada por eras e eras.

Este é o pilar da Climatização & Ambientação!

Depois de certo tempo, até mesmo os mestres mais experiêntes podem se deixar levar pela praticidade e "mecanicidade"(?) das coisas. Fazendo com que sua campanha, mesmo tendo uma excelente trama e personagens (NPCs) envolventes, se perca na cabeça dos jogadores, que passam a ver a campanha apenas como um jogo e não como uma história.

Mas como assim, tio Hobbit?!

Bom... vamos começar usando um exemplo, e daí pra frente eu irei desenvolver a postagem.
Então se prepara aí, pegue os óculos de leitura, abra aquele pacotão de Doritos, uma coca bem gelada e vamo lá!

"Ao fazer a narrativa em uma campanha, o mestre, guiando os jogadores pelo universo obscuro do RPG Trevas (Editora Daemon) descreve uma cena em que os jogadores estão no mundo dos sonhos (O Sonhar), e acidentalmente entram num reino de pesadelos."
Silent Hill Shattered Memories

Como VOCÊ descreveria esta cena? 
Como o mestre mecanizado ou como um contador de histórias?

Ao descrever esta cena, o mestre mesmo experiente, mas mecanizado, faria algo como:

"Há um espelho velho e cheio de teia na sala. Pelo mapa que estão usando, a passagem é por ele. - Após os jogadores tomarem a decisão de entrar, o mestre segue. - Vocês passam pelo espelho, e ao chegar do outro lado se vêm num mundo escuro e terrível. São capazes de ver criaturas horrendas ao longe, indo para lá para cá. Há um vento que não pára, levantando muita poeira. Vocês percebem que estão num reino do pesadelo!"



E então? Ruim?
Discordo. Ele fez o essencial! 
Deu uma visão aos seus jogadores, foi rápido e a partir disto os jogadores já sabem que estão em um ambiente hostil e que devem ser cuidadosos.
Mas... percebe que falta algo a mais?...
É como ir numa festa de aniversário e faltar aquele mini cachorro quente!

E é para isto, meus caros aventureiros, que servirá este post. 
Para colocar mini cachorro quente na barriga de seus jogadores!

Um mestre experiente e cuidadoso, com imaginação fértil, sem pressa e sem medo de arriscar no uso das palavras, descreveria A MESMA situação de forma diferente. Soaria como:

"Nesta sala rústica, repleta de livros antigos, mesas e estantes de madeira podre, com janelas tão embaçadas que mal a luz de fora é capaz de penetrar, vocês encontram um velho espelho ricamente decorado. Lembra muito um artefato do renascentismo, com bordas de madeira e diversas curvas. Ele está completamente empoeirado, descuidado, repleto de teias de aranha, como se não o tocassem há séculos. Pelo vidro é possível ver que ele exala uma calma energia púrpura que bruxuleia. Notem que de acordo com o mapa que vocês carregam, este é o caminho que devem seguir. - Os jogadores tomam a decisão de entrar - Ao passar pelo espelho, vocês são tomados por sensações muito desagradáveis... Náuseas, dores de cabeça, calafrios, vista embaçada, o som de tudo está muito distante, como num desmaio, e o pior de tudo... vcs são tomados por uma onda de medo!  - O mestre pede um teste que reflete na coragem dos personagens. - Após recuperarem os sentidos e a lucidez, vocês conseguem vislumbrar a manifestação do horror. Um panorama infernal se abre á frente, carregado de árvores retorcidas, lagos escuros e lamacentos, folhas secas ao chão são espalhadas por um vento gelado que fazem vocês tremerem dos pés à cabeça. À distância, vocês passam a ver algo que os fazem gelar, mas de pavor. Existem criaturas ao fundo, elas se movimentam completamente sem rumo, não são criaturas comuns, não são monstros como os que vocês enfrentaram anteriormente... são a própria manifestação de seus maiores medos, dos mais terríveis pesadelos, e é por ali, que todos vocês deverão passar. Preparem-se para enfrentarem seus maiores medos... literalmente!


Notou a diferença?
E Então, que narrador você é?

FIM DA PARTE 1

segunda-feira, 10 de março de 2014

Pulse - Vale ou não a pena rolar?



Aventureiros e nerdaiada!
Hoje, estou trazendo até vocês uma experiência que tive. Um tanto quanto tardia, confesso, mas não deixou de ser fantástica!

Hoje o projeto em que trabalho durante a semana (Escola Integrada.) recebeu a visita de Encho Vinícius Chagas! 
Convidado para apresentar sua obra vencedora dos prêmios Game Chef Brasil 2013, Game Chef Worls Champion 2013 e Dragão de Papel como melhor RPG nacional de 2013. Encho nos levou o tão aclamado Pulse! Um jogo de se contar histórias.

Antes fosse algo tão simples para se definir.
A verdade é que pulse assume um estilo muito simples e mecânica de rápido entendimento. Mas que ao evoluir o jogo, ele se torna uma imensa teia de informações repleta de questionamentos, respostas e eventos se cruzando uns com os outros.

A proposta do jogo é bem direta e de rápido desenrolar. Em resumo, é um RPG onde não há mestres nem jogadores, todos são criadores de histórias que se ligam (ou não) em uma linha temporal, de certa forma criando uma linearidade onde se é possível contar uma história no final.

É um jogo muito prático e pode ser facilmente jogado por pessoas que nunca jogaram RPG antes. Inclusive é um excelente jogo para pessoas que não necessariamente procuram RPG, ou que buscam uma mecânica completamente diferente e inovadora.

É o tipo de jogo que dá para se reunir uma turma de amigos ou até mesmo a família para participar.
Certamente foi uma experiência espetacular. Nos faz pensar que o RPG clássico é realmente muito bom, mas existem inúmeras maneiras de se contar histórias, sem perder a diversão e exercitando muito sua criatividade.

Encho trouxe para o cenário brasileiro de RPG uma obra prima!
Certamente é um jogo não só rodeado de prêmios, mas também de admiradores, e agora de novos fãs, um público que está começando a entrar no mundo do RPG, que já de cara se depararam com o que você nos apresentou de melhor:
Um jogo de se contar histórias pode fugir muito do RPG convencional!

Um excelente trabalho!!
Recomendado demais =D

Vocês podem adquiri-lo no site da Kobold's Den

Muito obrigado pela prazerosa visita, Encho!
O Hobbit e toda a turma do RPG da Escola Municipal Paulo Mendes Campos agradece sua vista!
Um abração do Hobbit e até a próxima!!


terça-feira, 4 de março de 2014

Vampiro: A série

Falaê Aventureiros e Nerdaiada que tá fazendo o carnaval em casa o/
Para estrear a coluna de convidados, estou trazendo aqui para vocês uma incrível matéria sobre a série Kindred: The Embraced, escrita por Ívina S.G.
Divirtam-se!!


E aí galera! 

Vocês devem estar se perguntando "O que um post sobre séries tá fazendo em um blog de RPG?!" Nada a ver, certo? Errado!! Os seriados são excelentes modelos de referência nos jogos de RPG. Pensem nas semelhanças: cenários, tramas, armadilhas, histórias, investigações, aventuras, músicas e personagens. Vocês possuem uma gama imensa de referências que podem ajudar em todos os âmbitos de um jogo, desde o Mestre aos Jogadores. Um seriado pode ser comparado a um campanha de RPG, ele possui uma trama de fundo, com personagens principais e secundários, episódios que podem ou não ser quests individuais e em muitos casos, um chefão que passa as missões, além dos superpoderes que ocasionalmente aparecem e logicamente, o up nos personagens com o passar das temporadas, que é o nosso estimado e precioso XP.
Então amigo, percebeu uma mera semelhança? Se sim, continue lendo porque esse post vai te interessar muito.

Kindred: The Embraced
Depois de muitas horas pensando qual seria a primeira série que eu iria falar, creio ter chegado na dica perfeita, Kindred: The Embraced.

Que seriado poderia ser melhor pra falar de RPG do que um baseada em um dos livros mais famosos de RPG?! Pois é, pra quem não sabe Kindred: The Embraced é um seriado baseado nos livros de Vampiro: A Máscara, produzido pela John Leekley Productions e Spelling Television com participação de Mark Rein-Hagen, que foi ao ar em 1996 pela FOX.

A trama se passa na cidade de São Francisco e gira em torno do detetive humano Frank Kohanek (C. Thomas Howell), o Príncipe Ventrue Julian Luna (Mark Frankel), a jornalista humana Caitlin Byrne (Kelly Rutherford), a sobrinha de Julian, Sasha (Brigid Brannagh), o detetive kindred Sonny Toussaint (Erik King) e os membros da Primigênie: a Toreadora Lillie Langtry (Stacy Haiduk), o Nosferatu Daedalus (Jeff Kober), o Gangrel Cash (Channon Roe), o Brujah Eddie Fiori (Brian Thompson) e o Ventrue Archon Raine (Patrick Bauchau). Cada episódio tem sua história individual mas algumas tramas permanecem durante toda a série, como a rivalidade entre o detetive Frank e o empresário Julian e a constante tentativa de Fiori de tomar o trono do Príncipe e controlar a cidade.



A série em geral é bem fiel aos livros de Vampiro: A Máscara, a cidade de São Francisco é controlada pelo Príncipe e seu Conclave (Primigênie), que são responsáveis pela proteção do maior tabu vampírico: A Máscara(1). Outros pontos em comum com os livros se destacam: a existência do Frenesi; a constante possibilidade da guerra entre os clãs (Jyhad); o uso de certas Disciplinas como Dominação (uso diferente do livro, não é necessário contato visual ou palavras), Presença, Auspícios e Metamorfose (Fundir-se com a terra_Nível 3, virar lobo ou aves de rapina_nível 4); a Morte Final e o Abraço(2).



Julian e Lillie
O início da trama se desenrola com a descoberta dos Cainitas pelo detetive Frank Kohanek, amante da Kindred Alexandra Serris que sofre uma Caçada de Sangue(3) por quebrar a Máscara ao revelar sua verdadeira natureza para Frank, assim começa a guerra particular entre o Príncipe Julian e o detetive, que tenta revelar a existência dos vampiros todo o tempo. Durante toda a série paira uma constante atmosfera de traições, conspirações e brigas sempre visando o lado social. As cenas de ação são poucas e creio que a limitação no uso das Disciplinas deve-se à dificuldade da época em fazer bons efeitos especiais.  

Mas como nada é perfeito algumas coisas foram alteradas ou inventadas para se adaptarem melhor ao roteiro da série. Uma diferença gritante é a possibilidade dos Kindreds saírem de dia e ficarem exposto à luz do sol, sem nenhum problema, se tiverem bebido sangue na noite anterior. Outra adaptação não muito feliz foi a aparência dos Nosferatus, são extremamente humanos, com feições e corpo normais, se destacam apenas pela inexistência de cabelo e pelas orelhas alongadas, além de algumas veias sobressalentes na cabeça. Algumas explicações também se perdem no meio da história, como o Laço de Sangue(4) e a criação de Carniçais(5) e principalmente o uso das Disciplinas. Parece que todos os vampiros são capazes de usar Presença e Dominação, além possuírem Metamorfose (todos se transformam em lobos), enquanto a Ofuscação foi apresentada como Disciplina específica dos Assamitas. Grande detalhe é a incrível capacidade que todos possuem de ingerir alimentos e bebidas como humanos. Algumas coisas também faltaram no enredo como a existência de Gerações, da Camarila, do Sabá e de outros clãs.

Pra finalizar, uma referência que eu não poderia deixar passar, a presença romântica e idealizada que sempre acompanha os romances da Anne Rice. Grande parte dos Cainitas da série possuem o eterno amor platônico dos vampiros pelos mortais e sua busca pela humanidade e prazer.

Bom, é isso aí galera! Espero que tenham gostado! O post ficou um pouco maior do que eu pretendia e eu ainda podia escrever mais uns 4 parágrafos, mas acho melhor encerrar por aqui. Aconselho demais que vocês vejam essa série! Até mesmo pra quem nunca jogou Vampiro: A Máscara e nem pretende jogar, é uma história envolvente e viciante.



Um beijão pra vocês e até a próxima!

Conclave
1 Lei Cainita que proíbe seus membros de revelarem sua verdadeira natureza.
2 Ritual de transformação em vampiro. 
3 Ritual que escraviza emocionalmente um indivíduo.
4 Ser que se alimenta de sangue vampírico e adquire características sobrenaturais.
5 Um vampiro é condenado a Morte Final pelo príncipe da cidade e é caçado pelos outros cainitas.

Curiosidades:

  • A série foi cancelada pela Fox com apenas 8 episódios devido a baixa audiência. Posteriormente a Showtime adquiriu os direitos do programa e planejou continua-la, porém o ator  Mark Frankel (Julian Luna) morreu em um acidente de moto em 1996 e assim o projeto foi deixado de lado;
  • Após o cancelamento da série nenhum outro episódio foi produzido. Os oito episódios foram lançados em VHS e em DVD em 21 de agosto de 2001;
  • Mark Rein·Hagen, um dos produtores de Kindred: The Embraced, é o autor da série de livros Vampiro: A Máscara, Lobisomen: O Apocalipse e outros títulos pertencentes ao World of Darkness;
  • Todas as mudanças na série foram aprovadas pela White Wolf e por Mark Rein·Hagen.

    Mark Frankel (Julian Luna)
  • Há boatos de que a personagem Toreadora Lillie Langtry foi baseada em uma atriz real de mesmo nome, famosa na alta sociedade londrina do fim do século XIX pela sua beleza e inteligência. Conhecida também pelos seus diversos casos amorosos que incluem dois príncipes;
  • Mark Frankel fez diversos trabalhos na TV, dentre eles o filme A Season of Giants onde interpretou Michelangelo. Em 24 de setembro de 1996 Frankel morre em um acidente de moto, enquanto pilotava seu orgulho, uma Harley Davidson;
  • Outros boatos dizem que na possível 2ª temporada  elementos novos iam ser introduzidos, como os Malkavianos, Tremeres, lobisomens e o Sabá;
  • A série foi filmada nas cidades de Los Angeles, São Francisco e Fillmore, na Califórnia;

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O Retorno das Trevas

Faaaalaê aventureiros e nerdaiada!

Sei que a notícia está bastante atrasada, mas é algo que infelizmente só vim a descobrir esta semana.
A Editora Redbox teve uma reunião com o grande Marcelo DelDebbio, e agora está a frente das publicações da editora Daemon!
Isto mesmo, a editora brasileira dona de um dos cenários mais interessantes que já li, está na ativa novamente, mas nas mãos daquela que tem se mostrado uma das editoras mais caprichosas que já tive o prazer de ver.

A Redbox, responsável por trazer ao Brasil rpgs fantásticos como Shotgun Diaries, Blood & Honor, Old Dragon, Dust Devils e Space Dragon, está agora com os direitos de publicação dos cenários Trevas/Arkanum.
E eu achando que a Daemon tinha morrido... 
Há quantas eras esta editora não lançava absolutamente nada?
É repleta de e-books, mas suas publicações morreram há tanto tempo que sinceramente eu nem me lembro mais.

Pra quem não conhece este cenário, aqui vai uma breve explicação: 

No RPG Trevas há uma quantidade absurda de informações sobre ocultismo e sociedades mágicas que existiram (ou não) no decorrer da história de nosso mundo. Em resumo, o planeta Terra se tornou palco da guerra celestial entre anjos e demônios.  Os seres humanos se tornaram meros peões neste tabuleiro e tentam manter suas vidas a qualquer custo. E quando digo "A qualquer custo", eu estou levando isto ao pé da letra! Homens e mulheres fazem pactos com os demônios e também com os anjos. As sociedades secretas buscam objetivos sombrios e estão pouco se importando se a humanidade será sacrificada para isto. A inquisição toma força mais uma vez, agora aliada à tecnologia atual, redes de informações e controles de instituições diversas. Tudo está na beira de um abismo, mas tudo escondido dos olhos mortais.

Em seus infinitos suplementos o Trevas da a possibilidade de jogar com anjos, demônios, caçadores de criaturas sobrenaturais, magos de diversas seitas, vampiros, espíritos ou espiritualistas, seres humanos alheios ao sobrenatural e muitos outros.
É um cenário bem completo, além de ser o que o povo chama de RPG genérico. Você pode muito bem criar um cenário qualquer e usar o livro para narrar (assim como Gurps e 3D&T).

Infelizmente como nem tudo é perfeito, o sistema possui algumas coisas que, na minha opinião, são erros enormes e necessitam de adaptações para um melhor funcionamento.

Espero que a Redbox, que não tem decepcionado em suas publicações, faça algumas alterações neste sistema e nos traga o bom e velho RPG nacional que foi engavetado por tantos anos.

Há quem diga que ele será lançado em formato A5, o que na minha opinião é bem bacana. o formato apesar de não ser clássico, é de maior conforto e facilidade de ser levado de um lado para outro.

Redbox, estou com grandes expectativas!
Espero que façam um ótimo trabalho, como têm feito.

Para vocês meus caros amigos, busquem informações sobre este cenário. Garanto que muitos irão gostar bastante.
Abração do Hobbit e até semana que vem!


Mais informações no site da RedBox.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Vampiro: o Punk Gótico

Falaê meus queridos aventureiros e nerdaiada de plantão!
 Vamos falar sobre um assunto delicado?


Aah... doce saudosismo... quem aqui de vocês teve Vampiro: A Máscara como seu primeiro RPG? o/
Assim como AD&D marcou uma legião de jogadores de RPG medieval fantasia, Vampiro: A Máscara marcou os jogadores que curtiam cenários contemporâneos (ou tramas mais sombrias).

Arte interna da edição de 20 anos.
Lançado em 1992, tendo sua ultima edição básica lançada em 1998 e em 2012 uma edição especial comemorativa dos 20 anos (e bota especial nisto), lançada em um evento em Nova Orleans. Infelizmente para nós pobres mortais, esta edição foi de venda exclusiva no evento. Hoje é possível encontrá-las no Mercado Livre pela bagatela média de R$500,00. Uma edição com capa simulando couro, 100% em cores, cerca de 400 páginas e papel couchê, marcador de cetim... enfim... o sonho de consumo de muito rpgista por aí!


Parando de babar um pouco encima desta maravilhosa edição, vamos falar um pouco sobre o assunto principal...



O Cenário

Durante quase toda minha vida em contato com o RPG, eu joguei e narrei Vampiro: A Máscara nos cenários mais atuais possíveis. E quando digo atuais, eu to falando de atuais MESMO. Eu jogava campanhas de Vampiro que se passavam nos anos 2000-2015. Isto não está errado, mas... por um instante apenas, se tiver um exemplar do livro, pegue ele, veja as ilustrações, leia alguns textos das divisórias de capítulos... notou a proposta de cenário? Não!?

Para dar continuidade, vou interromper o post pra falar de algo que me aconteceu há algum tempo atrás.

Senta que lá vem história...

Éric Draven - O Corvo
Era um fim de semana comum, eu estava na casa da minha namorada ainda quando eu morava em Ipatinga. Ela tinha acabado de chegar de viagem e como de costume, passou em uma loja e comprou um monte de filmes. Mas desta vez ela trouxe algo que alimentou todo nosso fim de semana: a coleção de filmes O Corvo.
Pra ser muito sincero, eu sempre tive muita curiosidade, mas NUNCA tinha assistido aos filmes, tive raríssimos contatos com as HQs, mas não passava disto. (E com 15 anos, eu me achava o gótico... pff... poser XD).
Começamos a assistir pelo O Corvo: Cidade dos Anjos (sei que é o segundo filme, mas até então ela não tinha encontrado o primeiro filme, com Brandon Lee). E, enfim... vimos todos os demais filmes neste fim de semana.










Onde eu quero chegar com isto?

Ilustração de "A Arte de Vampiro: A Máscara"
Após assistirmos os filmes eu recebi uma porrada de "flashes" e cheguei a uma conclusão ÓBVIA mas que NUNCA tive um único mestre que a usasse. 
Todos sabem que a proposta de Vampiro: A Máscara é um RPG de horror gótico pessoal, com cenário Punk Gótico. No entanto, a falta de criatividade/percepção de alguns narradores (incluindo eu) foi incapaz de captar esta essência no livro. Não estou dizendo que não faziam jogos góticos, mas nunca fizeram o Punk Gótico. E então, ao acabar de ver os filmes, me veio aquela certeza... Isto é o cenário de Vampiro!

É um RPG que para ser ambientado com perfeição, ele deve se passar entre os anos 80 até o início dos anos 90. Onde será possível identificar diversos elementos da cultura punk gótica em diversos lugares do mundo.


A grande maioria das pessoas que curtem Rock'n Roll ou que beiram os 30, 35 anos sabem muito bem que os anos 80 foram a era de ouro do Rock. Uma década marcada pelo auge do Heavy Metal, do Punk Rock, do Hard Rock e do Rock Alternativo. E querendo ou não isto influenciou muito a cultura e moda em seus países de origem (Inglaterra e E.U.A), abrindo cada vez mais espaço para o público, que até então não era tão grande.


A Glória decadente

Vampire: The Masquerade - Bloodlines



Eu digo que a década de 80 foi um retorno do ultra-romantismo mesclado com um "Q" da rebeldia e anarquia que veio arrastando-se dos anos 70. Ela originou uma nova geração de poetas de bares, bandas de fundo de garagem, coturnos nos pés de adolescentes, jovens, e adultos (que não eram policiais ou operários de usinas), sobretudos e jaquetas de couro, motoqueiros, cemitérios e usinas abandonadas como ponto de encontro para uma boa social (ou assassinatos), arcades (fliperamas) abrigando jovens até altas horas da noite, parques de diversão em piers (como em Santa Monica - Califórnia), lojas de discos de vinil, pubs e clubes noturnos se afogando no que poderia ser um novo "mal do século"... Isto é o cenário de Vampiro!








Concluindo
Aleluia!

Não estou aqui para apontar que mestres estão cometendo erros ao não seguir a proposta de cenário de alguns RPGs, longe de mim, pois eu mesmo não faço isto sempre. Minha intenção com esta matéria é incentivar os jogadores e narradores a buscar cada vez mais a essência de cenário apresentada em um RPG, isto pode ser conseguido através de outras coisas além do próprio material de rpg. 
Você pode optar por buscar filmes, HQs, jogos de video game, enfim, há uma infinidade de coisas espalhadas por aí que podem servir de inspiração para os Rpgistas. Então, que tal experimentar isto?

Vou deixar aqui uma lista de referências com materiais para narrativas de Vampiro: A Máscara (É uma lista com MINHA opinião. É muito provável que alguém não concorde com alguma coisa) . Espero que façam bom uso!

Aquele abraço!


-Filmes
  • Entrevista com o Vampiro (Óbvio) - Excelente escolha para mostrar a sociedade vampírica, o ritual do abraço, leis vampíricas, estilo de vida dos toreadores... Enfim, Anne Rice foi sem dúvidas, a maior influência no mundo de Vampiro
  • Drácula de Bram Stocker - Um ótimo filme para ambientações mais antigas e uma percepção dos poderes e bizarrices da vida luxuosa e decadente de um tzimisce.
  • Saga Anjos da Noite - Alguns podem não saber, mas processos judiciais por plágio correm de um lado a outro quando se trata desta saga cinematográfica. A White Wolf (responsável pela criação de Vampiro: A Máscara e Lobisomem: O Apocalipse) está processando os produtores do filme até os dias de hoje (é o q contam os boatos), tamanha é a quantidade de aspectos contidos nos filmes. Neles é possível ver a sociedade cainita, a máscara, ver claramente os clãs Brujah, Ventrue e Toreador, as leis vampíricas... uma infinidade de coisas MESMO.
  • Saga O Corvo - Eles trazem uma ambientação perfeita do cenário de Vampiro: A Máscara, com todos os elementos necessários. Sem contar que quase todos são excelentes filmes.
  • Rainha dos Condenados - Nah... o filme é bem fraquinho, mas tem alguns elementos interessantes para usar em narrativas contemporâneas.
  • Garotos Perdidos: É um filme típico dos anos 80, e retrata exatamente o cenário punk gótico que disse tendo como referência o parque no pier, os fliperamas, e é claro, vampiros (Jack Bauer é vc?! =O).
  • Rock of Ages: Um inusitado musical com grandes clássicos do Rock dos anos 70/80. Mesmo eu que não sou chegado em musical achei o filme bem interessante. Ele traz com perfeição os elementos presentes na cultura musical dos anos 80. Os cenários, a revolta religiosa, a rebeldia e novamente as jaquetas de couro enchem este filme. Excelente recomendação para os amantes de Rock e para narradores de Vampiro que desejam testar este período na narrativa.

HQs
  • V de Vingança - Estranho? Não! Quem já teve o imenso prazer de ler esta obra de arte sabe muito bem do que estou falando. É uma demonstração explicita do submundo. A criminalidade, prostituição, corrupção... são todos elementos essenciais numa campanha de Vampiro.
  • O Corvo - Como disse anteriormente, não tive tanto contato com as HQs, mas o que eu vi foi suficiente para que eu aprecisasse muito as obras. São excelentes para criação de ambientes.
  • Chastity - Uma HQ muito pouco conhecida no país, mas teve seu espaço para publicação através da Chaos! Comics. É uma história de uma garota americana que foi a Londres estudar teatro. Foi transformada em vampira em um show de punk rock. Ela tem o poder de não ser detectada por outros de sua espécie, e com um poder tão especial, ela foi treinada por uma condessa e se tornou uma grande assassina. Novamente, o punk e o rock presente no cenário.
  • Morte - Yep, a Morte de Neil Gaiman, parte dos Perpétuos. Para os que não sabem, existe uma edição encadernada de capa dura com 6 hqs completas (2 histórias inteiras), a segunda história é mais poética, mas a primeira (O Alto Preço da Vida) mostra um cenário punk gótico muito bem construído e uma trama muito envolvente. (Ps. Comprei ela há uns 6 anos atrás por cerca de R$39,90. Acabei de entrar no mercado livre e vi elas a no mínimo R$140,00 o.O")
  • Predadores - Diversos assassinatos assustam a polícia de uma metrópole. Vítimas encontradas sem sangue e uma frase que sempre aparece escrita nos locais dos crimes: "Seu reino está condenado!". Esta história (dividida em 4 volumes) É de longe a coisa mais próxima de Vampiro: A Máscara que eu já tive o prazer de ler. Dois irmãos vampiros saem pelas noites assassinando membros de uma sociedade secreta que controla todas as formas de poder. Muito mistério, sensualidade, ação, sangue e uma arte sensacional!

- Games


BloodRayne
  • Vampire: The Masquerade - Redemption - O jogo começa na idade média, você controla um cavaleiro templário que vem a se transformar em um Brujah e após um certo tempo de jogo, você entra em torpor e só desperta na era contemporânea. Os cenários são excelentes, muito inspiradores para narradores de Vampiro a Máscara. É um jogo bem antigo, então não leve os gráficos em consideração (mas na época de seu lançamento, eles eram muito bons!). A trama é muito completa, o contato com os outros clãs, a passagem de tempo, o despertar e o anacronismo, a falta de entendimento com a nova era, é tudo muito bom. Vale a pena jogar!
  • Vampire: The Masquerade - Bloodlines - Putz... o que comentar deste jogo? Ele é um RPG no computador. Desta vez é possível a escolha do clã e a criação da ficha do personagem, assim como no RPG tradicional. Se passa nos E.U.A e traz um cenário Punk Gótico exatamente como o livro traz. Repleto de criminalidade, drogas, pobreza, tráfico, prostituição, doenças, uma população medíocre, vampiros governando as cidades, vivendo nas sombras e se alimentando dos mortais. O jogo possui todos os elementos do RPG tradicional: O frenesi, a Máscara, a Humanidade, Disciplinas, Ficha, Clãs, Príncipe, Diálogos com direito de escolha às respostas (incluindo o uso de Disciplinas mentais nelas). É um jogo completo. Vale MUITO a pena jogar!
  • BloodRayne 2 - Um jogo de ação onde você controla uma personagem meio humana e meio vampira. O jogo se passa em um cenário bem punk gótico, com elementos (raros) cybergoth. É também uma excelente referência para técnicas de combate corpo a corpo. Principalmente para Assamitas.
  • Saga Streets of Rage - Muito antigo, mas um clássico, sem dúvidas. Streets of rage traz da melhor forma possível, os cenários urbanos da década de 80. Não possui muito o elemento gótico, mas o punk explode em sua tela com as mais vibrantes cores. É um jogo divertidíssimo no melhor estilo ''bater e correr''.



Como disse, existem outros itens que poderiam entrar nesta lista, mas estou apenas dando uma base para que vocês tenham uma ideia de criação de cenário para melhorar suas campanhas de 
Vampiro: A Máscara.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Delicadeza, pé na porta e soco na cara!

Babydoll - Sucker Punch (O exemplo perfeito de personagem doce e poderosa)
Falaê amigos Aventureiros e Nerdaiada sedenta de poder!

Até então, meus posts foram focados em descrições. Que tal focarmos agora no fator Interpretação?


Neste post vou focar uma interpretação que a grande maioria (dos homens, é claro) tem dificuldade em fazer.

Já sacou qual é esta?
Pois é... a Babydoll não está aí do lado atoa.

Nas diversas mesas em que tive o prazer (e desprazer) de estar, não houve UMA ÚNICA interpretação realmente envolvente/convincente de uma personagem mulher (Quando digo mulher, me refiro a uma figura feminina. Não uma bárbara escrota que fede pizza mofada ¬¬), feita por um jogador/mestre homem.

Isto se deve a o que afinal de contas?!

- Algumas vezes eu acreditei que fosse um "autopreconceito" (WTF?!). Sabe aquela limitação psicológica/incerteza da própria sexualidade que a pessoa tem, e por isto ela não faz nada considerado o mínimo feminino? (Eu conheço caras que não falam a palavra "linda" pq acham a palavra em si, feminina demais. Prefere falar bonita ou gostosa, mas linda não ¬¬ fala sério).

- Outras vezes eu realmente acreditei na incapacidade de uma pessoa não conseguir interpretar uma mulher. Mas poxa... como assim o cara é incapaz disto?! Ele interpreta um Orc, Dragão, Observador, o próprio Cthulhu, às vezes interpreta velhinhas caducas tipo aquelas de anime (avacalhadas, baixinhas e etc...), mas é incapaz de fazer uma interpretação um pouco mais feminina pq "não consegue"?!

Não fode ¬¬"

Homem que é homem sabe que é e não deve satisfação a ninguém por conta disto. Vc acha, que por estar numa mesa de RPG (geralmente recheada de marmanjo), ao interpretar uma personagem mulher, vai ser taxado por causa disto? Se for, eu tenho dó de vc por jogar em mesas como esta.

Kurenai - Red Ninja
Deixa este preconceito de lado pq vc tá perdendo uma parte muito importante da narrativa. Interprete da forma que for preciso, que vc achar melhor, e que convença seus jogadores/mestre.

As dicas que eu dou ao interpretar uma personagem (que seja menos bruta) são:

  • Amanse a voz: Não precisa afinar, só fale de jeito mais manso.
  • Trabalhe o psicológico: Lembre-se que a personagem é uma mulher mais delicada, evite as manias, gírias e demais fatores que injetem testosterona nela.
  • Sinta-se na pele dela: Ela não coça o saco, ela provavelmente se ofende com machismo, mas ainda assim ela age como uma mulher, e não como um brutamontes. Até mesmo em um combate, ela n vai sair cuspindo no chão, descendo o pé como um policial ou algo do gênero (a não ser q esteja interpretando uma mulher com uma "pequena" dosagem de testosterona, mas isto n é a ideia do post).
  • Mude sua fala: Experimente mudar não só o tom de voz, mas também o ritmo da fala.
  • Inspire-se em alguém: Seja uma personagem de filme, quadrinhos, mangás, animes, amiga, namorada, não importa! Veja esta pessoa com mais atenção, veja algumas características que vc acha interessante em colocar em uma personagem e parta pro teste!

Alguns podem até achar que estas dicas são desnecessárias, mas vai por mim, mesmo com as dicas e referências te cercando por todos os lados, tem gente que simplesmente não coloca em prática.
Pode ser meio vergonhoso no início, mas não é algo que requer tanto esforço, é só achar a forma que te deixa mais à vontade para interpretar e pronto!

Quando entrar em combate, não se esqueça das grandes referências do cinema. Elas te servirão como excelente fonte de inspiração.
Aproveite a deixa, e tome esta cena como exemplo:



Abração do Hobbit!!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Lobisomem: O Apocalipse


Faaalaê aventureiros e nerdaiada!

Este post é dedicado principalmente aos meus alunos de RPG, que estão procurando materiais de referência para seus estudos. Mas de qualquer forma, acredito que este é um assunto que agrada qualquer amante do Antigo Mundo das Trevas e também por novatos que têm a curiosidade de conhecer este fantástico mundo que é o dos Lobisomens!

Imagine um mundo dominado pelas criaturas das trevas.
Lobisomens rondam as florestas nos arredores das cidades, Vampiros comandam as ruas e o submundo, Magos lutam arduamente contra a igreja e organizações caçadoras de seres sombrios, Demônios buscam voltar para o mundo... Tente pensar em um mundo com tudo isto... E se eu te dissesse que este é o SEU mundo?
Sim! O mundo em que você vive... Uma vez disse Sheakspeare:
"Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia."

Há todo um mundo oculto dos nossos olhos.
Criaturas rastejam pelas noites, fazem o caos por onde passam e você nem ao menos percebe.
Ou será que percebe, mas as pessoas querem que você acredite que não?!

Este é o Mundo das Trevas!
As coisas te cercam, mas a mídia apaga, ou faz vc acreditar que são outras coisas.
E um dos cenários do Mundo das Trevas é o RPG Lobisomem: O Apocalipse.

Este cenário traz regras para vc jogar com uma das espécies de Metamorfos.
Você se coloca na pele de um Lobisomem pertencente a uma das Tribos, cada uma com suas peculiaridades. Um defensor da Mãe Natureza e protetor da humanidade. 
Mas o que você faria se a Mãe natureza estivesse sendo destruída pela própria humanidade?!
Este é apenas UM dos vários conflitos em que o Lobisomem se encontra.

Se este breve texto foi um atrativo para você, clique na imagem para baixar este grande clássico do Antigo Mundo das Trevas:


Abração do Hobbit, e até mais!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Mineiro, RPG Independente e Zumbis!

Faaaalaê aventureiros e nerdaiada!!

Recebi uma ótima notícia pra a galera q curte correr de zumbis, enfiar tiro neles sem dó nenhuma, estourar miolos para o café da manhã... enfim, jogar um bom RPG de sobrevivência zumbi o/

Este é um RPG independente, criado pelo Mineiro Jeferson Dias!
Está com o lançamento anunciado para Maio deste ano, maaas há a chance de ele sair antes do previsto.
Eu seu site, o JD Games, há uma promoção.
Você envia seus dados e e-mail para ele e em breve receberá aventura pronta de Hungry Hunter (O RPG de apocalipse zumbi.).

Cliquem na imagem abaixo e acessem seu site.
Participem da promoção e esperem ansiosamente por seu trabalho!

Tô aguardando o meu, hein JD!
Assim que tiver um comigo, vou testá-lo no projeto da escola e farei uma análise dele aqui!

Abração  do Hobbit!
Boa sorte com o projeto, JD!


Participe da promoção!


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

O Clássico The King of Dragons!

Falaê Aventureiros e Nerdaiada!!!

Eu nem ia postar hoje, mas saiu uma análise deste clássico da Capcom no Canal 90, do Nogy (um canal que sou mt fã, por sinal).
Quem conhece este clássico e jogou na infância vai relembrar os velhos tempos, e a galera que ainda não conhece... JOGUEM!
Sem essa de preocupar com gráficos! Este jogo é super divertido, principalmente para jogar com um amigo!

Confiram! =D



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

RPG para Todos! ... em BH


Faaalaê aventureiros e nerdaiada! 

Um dos motivos de eu não ter voltado a postar no Trilha do RPG também foi o acúmulo de trabalho.

Tecnicamente falando eu estou trabalhando de domingo a domingo!

Nossa! =O como vc vive?! 

Simples! 
No fim de semana eu TRABALHO COM RPG!! \o/ 

É isto mesmo que vc leu!
Eu TRABALHO com RPG!

Sou o coordenador da Oficina de RPG que acontece na Escola Municipal Paulo Mendes Campos (BH-MG).
O projeto Escola Aberta visa abrir os portões das escolas municipais para a comunidade, oferecendo diversas oficinas gratuitas.
Dentre estas, está a Oficina de RPG.
Um espaço aberto para:
  • Grupos de RPG que não têm um local.
  • Pessoas que querem aprender a jogar RPG.
  • Pessoas que procuram um grupo para jogar.
  • Interessados em conhecer pessoas que compartilham o Hobbie.
  • E outros que se encaixam neste padrão.
  • Pessoas que procuram um lugar para fazer um evento voltado para o RPG ou para a "cultura nerd".
  • Conhecer um dos maiores grupos de RPG de BH, o famoso Sétima Armada. Que agora faz parte da nossa escola. O forte grupo disponibiliza para TODOS os participantes da Oficina, jogos diversos. Sejam de tabuleiro, RPGs, ou o mítico Warhammer 40.000, um jogo de guerra com miniaturas muito bem trabalhadas. Com pessoas felizes por fazerem parte do cenário do RPG em BH, dedicadas e pacientes com jogadores novatos!
Esta é uma iniciativa do governo, que abriu não somente as portas para a comunidade, mas me deu a oportunidade de inserir o RPG nela!

Então, se você está procurando algum local MUITO BOM para jogar, este lugar é aí!

Quer saber as vantagens de se jogar na Escola?
Ok, lá vai:

  • Uma excelente padaria ao lado da escola (dividindo muro), dá pra comprar lanches muito bons sempre que precisar e sem perder tempo.
  • Banheiros e bebedouros pra todo mundo! (dá uma pausa na narrativa e em 2 minutos todo mundo já tá pronto pra continuar!)
  • Você não sofrerá as com o calor infernal que BH resolve fazer sem avisar! As salas possuem cortinas Blackout, vários ventiladores, 2 ar condicionados por sala, mesas diversas e tomadas para o que for necessário! 
  • Contará com acesso à Internet sempre que precisar!
Bom galera, este Post foi especificamente para apresentar este projeto!
TODOS são meus convidados, seja para um bate-papo, para conhecer o espaço e trazer seu grupo, para entrar em algum grupo (Incluindo minha mesa - que atualmente está jogando uma campanha de narração compartilhada em RED STAR.)

Sejam Bem vindos!
Esta é a oportunidade de você conhecer o provável espaço para o maior encontro semanal de RPGistas de BH!

O ENDEREÇO é:
Av. Assis Chateaubriand, 429, Bairro Floresta, Belo Horizonte. 
Basta seguir o viaduto Sta Tereza, em direção ao Floresta. Próximo ao Teatro Alterosa. 
CASO O PORTÃO ESTEJA FECHADO, BASTA BATER OU CHAMAR O PORTEIRO.


Os HORÁRIOS são:

SÁBADOS: 9h às 15h
DOMINGOS: 9h às 18h.



É isto aí pessoal!
Aguardo vocês lá.
Tudo de bom, sempre!
Abração do Hobbit!

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Planeta Fantasma


Falaê Aventureiros e Nerdaiada gente fina!

Tô bem feliz que o Hobbit Café esteja dando certo =)
Espero que estejam bem servidos!

É Muito comum isto acontecer com Blogs, mas realmente gostaria muito dos comentários de vcs!
Afinal de contas é a partir deles que consigo encontrar as coisas que mais interessam!
Bom, vamos seguindo, hoje é um dia especial! estou anunciando pra vcs o próximo lançamento do Hobbit Café!!

Eu comecei a escrever este RPG ainda antes de criar o RED STAR, tanto que o sistema que está presente neste, foi criado para o Planeta Fantasma. Mas algo aconteceu e eu empaquei com a criação dele. Nem lembro o que era, mas sei que tempos depois eu comecei a trabalhar no RED STAR e este ficou engavetado.

Felizmente ele está quase pronto.
Mas vendo o trabalho de diagramação que fiz com o RED STAR, dá até vergonha trazer o Planeta Fantasma até vcs da forma como ele está. Então vou diagramá-lo novamente e finalizá-lo também.
Alguns reparos vão ser necessários, mas enfim, o "grosso" do trabalho já foi feito.

Acredito que ele estará pronto por volta de Março ou Abril.
Mas enquanto isto, vejam um pouco do que estou fazendo na diagramação.
Esta é a parte introdutória do livro, que conta como o mundo ficou do jeito que ficou. Esta página é apenas a primeira parte, a história não acaba aí!!

Clica aí que aumenta o/


Não se esqueçam de comentar =D
Abração do Hobbit e até a próxima!!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Red Star Revisado!

FINALMENTE!
A edição revisada de Red Star está pronta!

Não conhece o cenário?
Clique aqui:
http://hobbitcafe.blogspot.com.br/p/red-star.html

Clique na imagem para fazer o download.


Análise - Mangá de Ataque dos Titãs

Faalaê Aventureiros e Nerdaiada!
Para o primeiro post de análise de mangás, escolhi este que tem sido o anime que mais tem estourado, que mais tem dado o que falar e que mais me decepcionou visualmente nestes últimos anos! Quer saber por que? Saca só!

Pra quem não conhece...
Shingeki no Kyojin ou Ataque dos Titãs é um mangá de gênero Ação, Aventura. Criado em 2010 por Hajime Isayama, com um anime de 25 episódios e um mangá ainda por produzir (atualmente está na 11ª edição no japão).

A história se passa em um mundo fictício, com uma pegada forte no cenário alemão medieval (incluindo nomes, frases da música de abertura e outras coisas). Neste mundo, a humanidade vive cercada por muralhas colossais responsáveis por sua segurança. Elas foram erguidas para mantê-los longe do alcance de criaturas humanoides gigantescas conhecidas apenas como Titãs. Não se sabe sua origem nem sua motivação, mas aparentemente eles vivem apenas para devorar e extinguir a raça humana. 

A história se foca na vida de Eren Jaeger, que assim como muitos, presenciou o apocalíptico dia em que um Titã colossal, maior que a muralha, surgiu em meio a uma nuvem de vapor e destruiu parte de uma das muralhas, fazendo com que os outros Titãs pudessem entrar e causar o caos. 

Eren perde sua mãe, casa, seu pai se encontra desaparecido e toda a população precisou recuar para as muralhas internas. A única coisa que lhe restou foi sua irmã adotiva Mikasa Ackerman e um furioso desejo de se alistar às tropas que protegem a humanidade, descobrir o paradeiro de seu pai, vingar a morte de sua mãe e conhecer o mundo além das muralhas.

Pra quem já conhece...
O Anime é muito bonito. 
Tem uma trama muito bem bolada, uma trilha sonora impactante, a forma física dos Titãs gera um certo mal estar... é um anime que te faz sentir diversas coisas ao mesmo tempo, mas em resumo, muita agonia!
Visualmente o anime é uma obra de arte.
Coloração, fotografia, movimentação, traço... TUDO nele é muito bem feito.
Mas e o mangá, como é!? =D

Já leram os mangás clássicos de Cavaleiros do Zodíaco?
Sabe aquele choque que vc sentiu quando viu o anime e depois o mangá?
Pois é disto que estamos falando.
Isto é até bastante comum. Um outro belo exemplo é o mangá de Elfen Lied. que tem uma arte bonita no anime mas o mangá te dá impressão de que foi feito às pressas e com quase nenhum capricho.

Só para conferir, esta é uma imagem retirada do mangá. repare na falta de cuidado com os personagens do ultimo quadro (inferior esquerdo).

Pra alguns como eu que já estão acostumados a estas mudanças drásticas no traço, pode não significar tanto. Mas tem gente que simplesmente brocha com essas coisas.

A essência do anime ainda é mantida no mangá. A história desenrola da mesma forma (pelo menos no primeiro mangá). A trama é realmente muito boa, vale a pena!
Mas visualmente, se você se preocupa com traços, eu ficaria com um pé atrás.

Aqui no Brasil o mangá está sendo publicado pela Panini (que tem feito um excelente trabalho, por sinal). A primeira edição vem com 1 marca-página (são 2 modelos). O material é o padrão dos mangás da editora. Nada de capa fosca, hot stamping, papel mais resistente, páginas coloridas... não, nada disto.

Mas é um material bacana pra quem gosta do anime e pra quem curte um cenário apocalíptico medieval.
A trama é repleta de furos e coisas que te fazem pensar "O que diabos aconteceu!?" ou "Como isto é possível!?". Muita coisa é explicada beeeem mais para frente, o que te faz manter a curiosidade e a leitura bem acirrada.

É uma obra bem legal. A Panini tem feito um bom trabalho com sua publicação. Uma pena que seu criador não teve tanto cuidado com a arte.

É Isto. Post longo demais, mas vamos finalizando ele aqui. 

NOTA

Enredo: 
Muito Bom!
Arte: 
Nah... Um nível médio beirando o fraco.
Acabamento: 
Normal. Nada demais.
Preço: 
R$11,90 - Panini... a JBC publica mangás com cerca de 4 a 6 páginas coloridas em papel couchê por R$12,90. Não custava nada trazer as páginas coloridas dele aqui também. Com o sucesso que ele faz, qualquer um pagaria R$1,00 a mais.
Diversão: 
Bom! Em alguns momentos a história se torna cansativa, tamanha é a repetição de desgraças que se abatem sobre os personagens.
Uma nota final?
8.0

É isto aí pessoal!
Espero que tenham gostado desta primeira análise. 
Lembrando que ela foi feita para avaliar o Mangá, não o anime!

Abração do Hobbit e até a próxima!!


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Bem Vindos ao Hobbit Café!

Faaaaalaê aventureiros, nerdaiada e famintos!
Aqui quem vos fala é o Hobbit do blog Trilha do RPG!
Se você não conheceu o Trilha, dá uma clicada no link aí encima!

Infelizmente o projeto Trilha do RPG acabou morrendo com o tempo.
Foram muitos os contratempos que acabaram por diminuir a quantidade de postagens, e que por fim o assassinaram lentamente.
O Trilha ainda está lá, aberto para qualquer tipo de coisa seja necessária para um curioso, e querendo ou não, ele fez parte da minha história.
O importante é que ele está lá como uma boa lembrança e também como fonte para algumas coisas que irei reaproveitar neste novo blog!

Este blog, diferentemente do Trilha do RPG, será menos focado no RPG em si e dará mais espaço a cultura Nerd. A ideia é abraçar um público maior, que possa encontrar diversas coisas de seu interesse neste único blog.



Em nosso Menu, teremos:


- RPG
Óbvio que eu n ia deixar meu hobby favorito de lado, né!?
Desta vez as análises de RPGs serão mais frequentes. E elas abordarão tanto RPGs novos quanto os ANTIGOS. Ficou claro ultimamente que tem uma galera que simplesmente não sabe o que é um Lobisomem: o Apocalipse. tsc tsc... =/ Foda é deixar os clássicos morrerem, né não?
Então bora rolar os bons dados da memória e apresentar o baú das antiguidades preciosas pra essa galera nova!

- VLOG
O Vlog do Trilha do RPG foi um dos maiores responsáveis pela popularização do blog. Afinal de contas, é comum que o trabalho em vídeo chame mais a atenção, né não? então! Mas, novamente, diferente do Trilha do RPG, o novo Vlog abordará diversos assuntos. Dicas de RPG, Quadrinhos, Mangás, Filmes, Projetos e outros...

- CULINÁRIA (WTF?)
Sabe aquele fim de semana que chega matando e vc mal tem tempo de fazer algo decente? Pois é... nessas horas, o indecente é sempre melhor! Vídeos tutoriais para pratos ou drinks rápidos, simples e gostosos (mas não necessariamente saudáveis. HAHAHA!) que podem te ajudar a matar sua fome ou a de uma galera!

- ESPAÇO NERD
Contendo assuntos diversos. Dentre eles os Quadrinhos, Mangás, Filmes, Livros, Curiodades, Eventos em BH e demais informações do cenário Nerd da capital Mineira!

- COLUNA DE CONVIDADOS
Este é um espaço especial para convidados publicarem seus trabalhos. Desde matérias, ilustrações, até mesmo vídeos, encontros e entrevistas!

Em resumo, é isto!
Espero que dê certo e que vcs sejam bem servidos! =)

Abração do Hobbit e até breve!!